Recursos para projetos culturais: como e onde conseguir?

  • Home
  • Mercado
  • Recursos para projetos culturais: como e onde conseguir?
Juca de Oliveira atuando em peça de teatro.

Muitas vezes você tem uma ideia ótima, que funcionaria como peça-chave no desenvolvimento de sua carreira, mas não tem como executá-la.

Os recursos para projetos culturais foram criados com o intuito de viabilização. São iniciativas públicas ou privadas, que visam o desenvolvimento de ideias ligadas à cultura como um todo. No entanto, para consegui-los, é necessário realizar alguns procedimentos.

Como são, na maioria das vezes, processos burocráticos, as pessoas tendem a se assustar e acabam nem tentando.

Se você se interessa pelo assunto ou quer, há muito tempo, tirar um plano do papel, este post irá te ajudar.

O que é necessário em um projeto cultural?

Vamos supor que você é aficionado por fotografia. Trabalha há anos na área e pensa em desenvolver um trabalho autoral. Você acredita que ele pode ser de interesse público e que seja capaz de trazer valores para a cultura brasileira.

Tenha em mente que, para que sua intenção deixe de ser uma inspiração passageira, é preciso estruturá-la. Só assim nasce um projeto: ele é a elaboração das ideias iniciais.

Sendo assim, ele precisa ter alguns componentes como:

  • título;
  • descrição (o que é);
  • justificativa (o porquê de fazê-lo);
  • objetivos e metas (onde se quer chegar com aquilo);
  • metodologia (como você conduzirá a execução);
  • cronograma (como ele progredirá com o tempo);
  • orçamento (com que e como você gastará os recursos fornecidos);
  • mensuração de resultados (quais serão os métodos utilizados para provar que todas as etapas anteriores foram devidamente cumpridas e resultaram em algo).

Onde conseguir recursos para projetos culturais?

Existem, basicamente, dois caminhos habituais:

Iniciativas governamentais

A maioria delas está ligada às chamadas “leis de incentivo”, que são regulamentadas pelo Ministério da Cultura. A mais popular delas é a Lei Rouanet.

As exigências vão desde a apresentação do projeto até a prestação de contas, já que se trata de dinheiro público.

O privilégio geralmente é concedido ao projeto que propõe um diálogo com a sociedade e que não tenha fins lucrativos como prioridade.

Por mais que tenham ingressos pagos, por exemplo, eles devem ter um caráter predominantemente acessível. Portanto, não devem possuir um circuito fechado de exibição ou se restringirem a interesses meramente particulares.

Outras iniciativas

Fundações e empresas que buscam por exposição de marca podem se interessar por patrocinar o seu projeto.

O recurso privado também requer bastante seriedade por parte de quem pretende fazer a captação para executar o projeto. Até mesmo porque é preciso convencer essas entidades de que determinado ramo cultural justifica o investimento.

Campanhas de financiamento coletivo, conhecido como crowdfunding, também são uma saída.

Como captar os recursos para projetos culturais?

Em relação ao incentivo federal, é preciso ficar bastante atento aos editais e agir dentro dos prazos estipulados pelo governo.

Para aqueles que preferem a via dos patrocínios, é preciso ter paciência. Identifique as marcas que possam se interessar pelo seu projeto e saiba conviver com as negativas. Não desanime e evite sair atirando para todos os lados.

Conseguir recursos para projetos culturais não é a coisa mais fácil do mundo. Ainda assim, o esforço vale a pena. Afinal, você poderá ver sua ideia brilhante sendo finalmente executada.

Gostou do post? Então compartilhe-o nas redes sociais e deixe seus amigos criativos por dentro dessas dicas!

Saibalá

A Saibalá é uma plataforma de conteúdos nas áreas de Economia Criativa, que propicia uma experiência de aprendizado inovadora, através do know how de quem realmente sabe. Nós fornecemos conteúdos relevantes e atualizados, pela ótica de agentes da inovação. Oferecemos acesso a seus ambientes reais de trabalho, através de cursos com qualidade e narrativa cinematográfica, em uma experiência como você nunca viu.

Deixe um comentário
Share This